Bula Mirena anticoncepcional

Indicação

Para que serve?

Mirena é um sistema intrauterino com libertação de hormônios, indicado como método de contracepção, para o tratamento da menorragia idiopática e para proteção contra hiperplasia endometrial durante terapia de reposição estrogênica, em mulheres.

Posologia

Como usar?

Mirena é um sistema intrauterino que apenas deve ser colocado no consultório médico, pelo seu ginecologista.

Mirena pode ser colocado no período de 7 dias após o início do sangramento menstrual ou imediatamente após abortamento de primeiro trimestre, desde que não exista infecção genital. Minera pode ser utilizado durante 5 anos consecutivos, devendo o sistema ser retirado ao fim deste tempo.

Efeitos Colaterais

Quais os males que pode me causar?

Alguns dos efeitos colaterais de Mirena podem incluir dor de cabeça, dor abdominal, alterações no sangramento incluindo aumento ou diminuição no sangramento menstrual, gotejamento, menstruações pouco frequentes ou ausência de sangramento, inflamação do órgão genital externo ou vagina ou corrimento genital.

Contraindicações

Quando não devo usar?

Mirena está contraindicado para mulheres grávidas, mulheres com historial de doença inflamatória pélvica atual ou recorrente, infecção do trato genital inferior, infecção do útero após parto ou após aborto, infecção do colo do útero, mulheres com anormalidades celulares no colo do útero, suspeita de câncer do colo do útero, tumores que dependem do hormônio progestógeno para se desenvolver ou sangramento vaginal anormal não-diagnosticado, mulheres com anormalidade do colo do útero ou do útero, infecções recorrentes, doença ou problemas no fígado e para pacientes com alergia a algum dos componentes da fórmula.

Mecanismo de Ação

Como funciona?

Mirena é um sistema intrauterino em forma de T, que se assemelha a DIU, mas que apresenta libertação de hormônios, Levonorgestrel, sendo também conhecido como SIU. A forma de T de Mirena permite ajustar o sistema de liberação do hormônio ao formato do útero.

Na parte vertical do sistema em forma de T, Mirena contém o hormônio Levonorgestrel, semelhante a um dos hormônios produzidos no corpo, que é libertado no corpo a uma taxa constante e em quantidades muito pequenas. Mirena proporciona a prevenção da gravidez através do controle do desenvolvimento da camada de revestimento do útero, de forma que esta não fique suficientemente espessa para possibilitar gravidez. Além disso, também promove o espessamento do muco normal na abertura para o útero, de forma que o espermatozoide encontre dificuldade para entrar no útero e fertilizar o óvulo, o que também afeta o movimento do espermatozoide dentro do útero.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar?

Antes de usar Mirena, deverá falar com o seu médico se tiver historial de doença cardíaca, diabetes, sangramentos irregulares, doenças sexualmente transmissíveis, historial de infecção pélvica, tiver o útero inclinado para trás e fixo ou se estiver a tomar outros medicamentos, incluindo medicamentos sem receita médica.

Durante o tratamento com Mirena, caso sinta sintomas como enxaqueca, perda visual assimétrica ou outros sintomas que possam indicar uma isquemia cerebral transitória, dor de cabeça muito intensa, amarelamento da pele, do branco dos olhos ou das unhas, aumento acentuado da pressão, doença arterial grave como derrame ou enfarto do coração, febre, dor relacionada à relação sexual ou sangramento anormal, deve consultar o seu médico logo que possível.

Durante o tratamento com Mirena, é comum algumas mulheres não apresentarem sangramento durante a sua utilização. Esta ausência de sangramento não é necessariamente um sinal de gravidez, pelo que caso sinta outros sintomas que indiquem gravidez como náusea, cansaço ou sensibilidade nas mamas, deve consultar o seu médico logo que possível.

O uso de absorventes internos durante a utilização de Mirena deve ser feito com cautela, pois no momento da retirada do absorvente existe a possibilidade de puxar os fios de Mirena também.

Geralmente, Mirena não é o método de primeira escolha para mulheres jovens que nunca engravidaram nem para mulheres na pós-menopausa com atrofia do útero. Além disso, antes da inserção de Mirena devem ser realizados vários exames, incluindo Papanicolau, testes para infecções ou doenças sexualmente transmissíveis e exames ginecológicos para determinar a posição e o tamanho do útero.

Mirena é um contraceptivo hormonal, sendo que, uma vez que não se trata de um método contraceptivo de barreira, não protege contra infecções por HIV, aids, ou contra outras doenças sexualmente transmissíveis.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada?

Em caso de toma excessiva de Mirena​, deve dirigir-se ao hospital mais próximo, levando a embalagem ou bula do medicamento.

Composição

Mirena por cada sistema intrauterino contém 52 mg de Levonorgestrel e apresenta taxa inicial de liberação de 20 mcg em 24h.

(Excipientes: elastômero de polidimetilsiloxano, cilindro de polidimetilsiloxano, estrutura em T e fios de remoção).

Interações Medicamentosas

Mirena não deve ser administrado em conjunto com alguns medicamentos ou substâncias sem orientação médica, como medicamentos para a epilepsia como fenobarbital, fenitoína ou carbamazepina, antibióticos como rifampicina, rifabutina, nevirapina ou efavirenz.

Mirena engorda?

Sim Mirena pode engordar, pois trata-se de um anticoncepcional que funciona à base de hormônios e tal como as pilulas anticoncepcionais, em alguns casos pode fazer engordar.

Laboratório

Schering do Brasil Química e Farmacêutica Ltda.

SAC: 0800 702 1241

Outros remédios que podem ser usados para prevenir a gravidez além de Mirena podem ser Iumi ou Diane 35.

Dizeres Legais:

MS: 1.0020.0087
Farm. Resp.: Dra. Lissandra Valentini